Posted by: Simone Talarico Ross | November 6, 2007

Halloween, Dia das Bruxas

Demorei um pouco prá falar dessa festa porque, depois da semana de incêndios, tive que trabalhar dobrado em casa e com os clientes. Mas, como prometi, vou falar um pouco da minha experiência esse ano, na noite de Halloween.Primeiro é preciso dizer que a data pode ter significado histórico, religioso, filosófico, o que seja, mas a noite, aqui, é das crianças. Prá se ter uma idéia, algumas escolas deram o dia de presente, e não teve aula. Acho que o objetivo foi de liberar as crianças para a preparação da grande noite, afinal, as abóboras devem ser esculpidas no mesmo dia, prá que não apodreçam de antemão. Ah, sim, nem falei como é importante esse legume aqui, nessa época! Cada membro da família faz a sua, da forma que quiser, com os adereços que escolher. Aí embaixo a minha, a do Robbie e a do Robert, respectivamente.

 

A maioria das casas já foi decorada desde o início do mês e tem de tudo, desde as mais simples – como a nossa que só tinha umas caveiras, umas aranhas e centopéias por tudo que era lado (as duas fotos abaixo são da frente da nossa casa) até as mais sofisticadas, com tudo quanto é tipo de ornamento( exemplo na foto seguinte).

Na noite de 31 de outubro, as crianças vestem alguma fantasia – geralmente assustadora, mas eu vi de tudo, de princesa à homem-aranha! – e saem com os pais batendo nas portas das casas, pedindo doces. Ah, não mencionei o mais importante! Os doces!!! Todo mundo tem que comprar doces e colocar numa tijela, porque quando a noite cai, a criançada bate na sua porta e ai de você que não tenha um doce prá dar!!!Na verdade, se você não quiser participar, geralmente as crianças respeitam, principalmente as casas que não têm decoração alguma. Mas na verdade, você pode ter sua casa vandalisada – geralmente com alguém destruindo sua abóbora ou jogando papel higiênico nas sua árvores, coisas inocentes, nada violento. E essas são as regras do jogo. Por isso, quando eles batem na sua porta eles dizem “trick or treat”, que quer dizer mais ou menos, “você quer que a gente apronte alguma ou vai nos dar uns doces?”.

A romaria atrás dos doces prá mim parece com a de São Cosme e Damião, no Brasil. Os pais participam mesmo. Aqui, criança não sai à rua sem um responsável, então os pais ficam da calçada vendo os filhos baterem na sua porta e alguns deles até estavam fantasiados também! E, assim que dá umas sete e meia, oito horas, a romaria acaba. Ou, se você não quiser mais atender à porta, ou não tiver mais doces, é só tirar os enfeites da porta, apagar as luzes, que ninguém aparece mais.


Responses

  1. Acredita q tocaram na minha campanhia aqui no Rio e as crianças diziam, doces ou travessuras!!! Eu não tinha doce.. dei 1 real.. rssss Essa moda tá pegando por aqui. Mas alguns cartazes nas ruas continuam dizendo: “Hallowen é Satanismo” rss Bjsss

  2. Engrçadíssimo as crianças aí fazerem isso, mas ainda mais engraçado foi você dar 1 real p elas!!! Hahaha!!!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: