Posted by: Simone Talarico Ross | April 7, 2011

Uma solução para sacolinhas de lixo

Continuando a série “Quero ser verde” repasso uma idéia bem prática para as pessoas que ainda utilizam sacolas plásticas para colocar lixo. Uma das sugestões seria diminuir a quantidade de plástico no lixo. Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana é usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço, por exemplo, e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa (da pia, do banheiro). Se o lixo é limpo, como de escritório (papel de fax, pedaços de durex, etc), pode ser colocado separado ao lado da lixeira para ir direto para a reciclagem .

Agora , no caso dos lixinhos da pia e do banheiro (absorventes, fio dental, cotonetes, papel higiênico), o melhor substituo da sacolinha é o “saquinho de jornal”. Essa idéia é fantástica! Ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer. Leva 20 segundos. A idéia veio do origami, que ensina essa dobradura como um copo. Em tamanho aumentado, feito de folhas de jornal, o copo cabe perfeitamente na maioria dos lixinhos de pia e banheiro que existem por aí.

Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado. Para ver melhor os detalhes, clique na foto para aumentar. 

 

 

Dobre a ponta inferior direita sobre a ponta superior esquerda, formando um triângulo, e mantenha sua base para baixo. 

 

Dobre a ponta inferior direita do triângulo até a lateral esquerda. 

  

  

 Vire a dobradura “de barriga para baixo”, escondendo a aba que você acabou de dobrar.

 

 

Novamente dobre a ponta da direita até a lateral esquerda, e você terá a seguinte figura:

 

 

 

Para fazer a boca do saquinho, pegue uma parte da ponta de cima do jornal e enfie para dentro da aba que você dobrou por último, fazendo-a desaparecer lá dentro.

 

 

Sobrará a ponta de cima que deve ser enfiada dentro da aba do outro lado, então vire a dobradura para o outro lado e repita a operação.

 

 

Se tudo deu certo, essa é a cara final da dobradura:

 

 

Abrindo a parte de cima, eis o saquinho!

 

É só encaixar dentro do seu cestinho e parar pra sempre de jogar mais plástico no lixo!

 

 

Que tal?

 

Pode parecer complicado vendo as fotos e lendo as instruções, mas faça uma vez seguindo o passo a passo e você vai ver que depois de fazer um ou dois você pega o jeito e a coisa fica muito muito simples. Daí é só deixar vários preparados depois de ler o jornal de domingo!


O que vocês acham? Até eu consegui fazer! Repasse para os seus amigos! E vamos salvando o planeta, e nós mesmos, uma sacolinha de plástico de cada vez!!!
Advertisements
Posted by: Simone Talarico Ross | February 12, 2011

A memória viva, um mês depois

Chovia na manhã de terça-feira. Chovia tanto que pedi a minha mãe que não me acompasse ao Forum da cidade, conforme havíamos combinado, para solicitarmos um alvará na Defensoria Pública.

Peguei uma carona com meu irmão. Pela avenida, ele me deixou numa esquina mais próxima. Esperei o sinal abrir para atravessar. Fiquei bem longe do meio fio porque não se pode confiar nos carros que passam às sete e meia da manhã por uma avenida tão movimentada como esta. As poças já se formavam e fazia frio, em pleno verão.

Após sair do Fórum, andei até o salão de cabelereireiros onde então iria encontrar com minha mãe para nossa manhã de beleza. Fizemos cabelos, unhas, para que no dia seguinte estivéssemos lindas para comemorarmos meu aniversário num restaurante bem chique da cidade. A caminhada até o salão demorou em torno de 20 minutos e mesmo com guarda-chuva e botas, cheguei ao salão com a calça jeans molhada até o joelho. Sempre chove no meu aniversário, já estou acostumada. Saindo do salão tínhamos a intenção de fazer outras pequenas coisas mas aquela chuva não dava trégua e nos desanimou. Voltamos para casa.

Choveu a tarde inteira. Freddy, o “poodle-lata”, educado a não fazer nada dentro de casa e nem nos quintais, só teve cerca de cinco minutos para uma caminhada rápida, por volta das 5 da tarde, quando a chuva deu uma estiada.

Chovia quando a noite chegou. A novela das 9 havia acabado quando a chuva apertou. Desliguei a televisão e deitei com minha mãe. Sempre durmo com minha mãe quando venho visitar, mesmo quando meu pai ainda era vivo.

Peguei no sono mas acordei quando os trovões começaram e a chuva caía mais forte. De repente faltou luz e nossa luz de emergência apitou e ligou na cozinha. Faltar luz em Friburgo quando chove sempre foi algo comum. Algumas pessoas até costumam dizer que se um pássaro mijar nos fios pode faltar luz. Mas o perigo maior é quando a luz volta. Como nossa voltagem lá é de 220 volts, às vezes alguns aparelhos eletrônicos queimam quando a luz retorna. Então, me levantei e desliguei as televisões da sala e do nosso quarto.

A água da chuva agora competia com os trovões e relâmpagos para ver quem me assustava mais. Por volta de uma da manhã meu irmão, que dormia no quarto ao lado, me acordou dizendo que o rio estava transbordando. Uma vizinha da serralheria dele, que fica a dois minutos de casa, ligou dizendo que talvez ele devesse dar uma olhada por lá porque a água do rio já estava tomando as ruas ao longo de suas margens e logo entrava na oficina, que ficava do outro lado. Meu irmão então ligou para seu ajudante, que também mora perto, e os dois correram para lá.

A chuva continuava forte e eu fui para a janela da sala, tentando não fazer barulho para não acordar minha mãe, que dormia como se nada acontecesse. Em frente a nossa janela, na rua que desce, transversal ao rio, a água já subia. Alguns moradores de lá tiravam seus carros das garagens e os traziam para o alto da rua. De repente, a luz se foi de novo.

Com o clarão dos relâmpagos acompanhei o rio invadindo cada vez mais a rua da frente e algumas pessoas começaram a se juntar no topo para ver o que acontecia. Um homem apareceu com um bote, mas a correnteza pareceu ter desencorajado qualquer que tenha sido a idéia que ele teve.

A chuva persistia e mais de uma hora depois de sair, meu irmão ainda não havia voltado. A luz voltou. Na rua de frente moradores começaram a subir para o segundo andar de suas casas, para as lages – ouve gritaria. A água estava subindo muito rápido. Já chegava na altura das janelas.

Chovia sem parar agora e meu irmão retornou com o ajudante e um amigo. Eles ficaram com medo de voltar para onde moram porque disseram que está arriscado a cair uma barreira por lá. Soubemos que alguma barreira caiu próximo. Todos ficam na sala, ninguém dorme mais. Volto para o quarto e me deito com minha mãe para que ela não acorde e sinta a minha falta e se assuste. A chuva, que já era forte, parece ficar ainda mais intensa. Não há como dormir.

Quatro da manhã ouvimos o estrondo. Pulo da cama e meu irmão entra no quarto e diz que uma barreira caiu no quintal de trás e que precisamos sair da casa. Tento acalmar minha mãe mas vejo que as mãos do meu irmão tremem. Segurando minha mãe saímos pela porta da frente. Chove muito mas não há como achar guarda-chuva. Não podemos ir para atrás da casa, onde estão os dois cachorros maiores. O primeiro pedaço de pano que vi serviu para cobrir minha mãe. Freddy está no colo dela. Alguém carrega a luz de emergência. Descemos os degraus e nos deparamos com uma espécie de um rio, de correnteza forte, no quintal da frente, tentando abrir caminho pelo nosso portão de placas de ferro. A garagem parece um lago de água barrenta. Alguém tenta abrir a porta do portão mas o portão abre para dentro, contra a correnteza, e não consegue. Eu sugiro que abríssemos o portão todo, que é de correr, e quando eles tentam fazer isso a água leva o portão abaixo, que cai no meio da rua. Aquela enxurrada de água barrenta que teremos de atravessar fica ainda mais forte. Percebo que com a intensidade da água que corre não teria equilibrio para andar de chinelos e que teria mais firmeza para me equilibrar e segurar minha mãe descalça. Assim fiz. Saímos de casa e vamos para uma marquise do prédio ao lado.

Chove mais. Os trovões são tão altos que não sabemos mais se são trovões ou outra coisa que nunca ouvimos antes. Começo a tremer por dentro. Estamos todos calados. Só assistimos, ao vivo, ao espetáculo que a natureza nos descortina de luz, som e água, muita água. Minha mãe lembra que hoje é 12 de janeiro, meu aniversário. Nos abraçamos em silêncio. Nosso abraço parece confortar a todos.

A rua na nossa frente começa a encher de água, os bueiros não conseguem dar conta. Àgua desce das ruas de cima. Se cair uma barreira ali em cima, não temos para onde correr. O rio a nossa frente sobe em nossa direção. Estamos encurralados.

Cinco da manhã e água ainda cai dos céus com força. Daqui a pouco vai amanhecer. Tem que amanhecer logo! Seis da manhã e a escuridão começa a dar espaço a alguma luz. A chuva está mais amena mas insiste em cair. O vizinho do outro lado nos convida para entrarmos no seu prédio, que parece seguro. Do alto da janela dele vemos o que não conseguíamos ver sentados próximos ao chão. A catástrofe tomou conta do nosso bairro. As casas mais baixas e próximas ao rio foram inundadas de forma que as janelas foram cobertas. Clarões nas montanhas da frente nos revela que barreiras podem ter caído por ali também.

Por volta das sete e meia da manhã a chuva deu uma trégua que parecia ser de verdade. Entramos na nossa casa. A cozinha, o quarto da minha mãe e o banheiro foram inundados por aquela mesma água barrenta que quase nos impediu de sair da casa na noite anterior. Eu busco os cachorros. Cada um subiu numa cama. Estão bem. Minhas malas, que já estavam fechadas no quarto de visitas atrás da casa, também receberam a visita de água com terra. O quintal de trás tem quase dois palmos de lama. Mas na verdade nenhuma barreira havia caído por lá e sim na rua de cima. A água que descia pela rua fora bloqueada e não tinha por onde escorrer, então desceu pelo nosso muro, como uma cachoeira. Ficamos tristes mas resolvemos que temos que limpar aquilo tudo antes de a chuva voltar.

As notícias então começam a chegar. Barreiras caíram nas duas direções da nossa rua. Estamos ilhados. Não há luz nem telefone. A ajudante que trabalha lá em casa aparece e diz que perdeu tudo, a água entrou na casa dela numa altura de dois metros. Numa comunidade próxima, um deslizamento parece ter levado várias casas abaixo. Há pessoas ainda embaixo da lama. Estão tentando resgatá-los. Em algumas horas vamos nos dar conta de que a cidade inteira foi afetada. Vidas se foram naquela noite. Agora, em comparação, quando alguém nos pergunta se algo aconteceu com a gente, a única resposta que podemos dar é: “Não, com a gente não aconteceu nada”.

 Hoje faz um mês que Nova Friburgo e outras cinco cidades serranas do Rio de Janeiro foram devastadas física, psicológica e emocionalmente por uma tragédia que afetou a todos de uma forma ou de outra. Minha mãe não voltou para aquela casa, que guarda tantas lembranças. Acho que nenhum de nós conseguiria dormir mais ali se chovesse uma daquelas chuvas de verão, tão comuns nessa época do ano. Ela, Freddy e meu irmão estão num apartamento nosso que, por coincidência, estava para ser alugado. Os dois cachorros maiores vão ter que ficar na casa de um tio querido, pelo menos por enquanto. Mas ainda há famílias inteiras de trabalhadores, crianças e pessoas honestas vivendo em abrigos, quase quatro mil pessoas só em Friburgo. Tantos outros estão nas casas de parentes. Bairros afastados ainda contêm barreiras a serem retiradas, animais perdidos estão sendo cuidados por voluntários. Pequenos e grandes empresários perderam estoques de mercadorias, máquinas com que trabalhavam.  Não podemos esquecê-los. Mesmo quando as notícias nos jornais ficarem escassas.

Posted by: Simone Talarico Ross | August 9, 2010

Sacolas plásticas

Recebi um comentário no meu último post (Quero ser verde) de uma querida amiga internética que me lembrou do tema das malditas sacolas plásticas. (Megui, não te respondi porque por descuido apaguei seu comentário e não sei onde você o colocou! Sorry!). Achei que o assunto era bem a propósito.

Como disse anteriormente, eu estou embarcando seriamente num caminho para me tornar mais ecologicamente correta. Pretendo fazer pesquisas, tentar algumas sugestões e contribuir para que o nosso planeta e os seres vivos contidos nele não sejam tão maltratados.

Você provavelmente já ouviu falar que as sacolas plásticas não fazem bem para o meio ambiente. Primeiro porque, como tudo o que é descartável, tende a criar uma montanha de lixo desnecessário. Segundo porque a produção do material das sacolas plásticas é agressiva ao meio ambiente. Ela coopera para o esgotamento de sua matéria-prima, o petróleo, que é um recurso natural não renovável e essencial na fabricação de outros produtos. Entre eles, gasolina, óleo diesel e asfalto. Sem contar que o refino do petróleo causa emissões de gases poluentes.

Terceiro porque o plástico das sacolas leva cerca de 300 ou até 400 anos para se decompor. Elas impermeabilizam solos, poluem mares e rios e entopem bueiros, dificultando o escoamento da água das chuvas, sendo uma das mais importantes causas de enchentes. Quarto porque, na natureza, os resíduos plásticos causam a morte de muitos animais. A cada ano, 1 milhão de aves marinhas, 100 mil mamíferos marinhos e inúmeras espécies de peixes morrem ao ter contato com o material. As tartarugas-de-couro morrem asfixiadas ou por ingestão de sacos plásticos, que são confundidos com seu alimento natural, a água-viva. Elas morrem ao engolir o plástico!

 

 

O problema é que a sacola de plástico está presente no cotidiano de pessoas de todas as idades e classes sociais. Para quem vende ou para quem compra, tornou-se automático associar qualquer produto a uma sacola: não só em grandes compras, como também nas bem pequenas. Quem nunca carregou um simples livro, uma caixa de remédio, uma lata de refrigerante ou qualquer objeto solitário numa sacola dessas? No Brasil, um uso ainda mais comum, apontado pelo Ministério do Meio Ambiente como a maior causa para a proliferação dessas sacolas é seu uso para forrar latas de lixo – seja em casa, na escola, em banheiros ou nos escritórios.

Hoje, a urgência em eliminarmos – ou, pelo menos, reduzirmos – o uso das sacolas plásticas é inegável. Desde o início desta década, pelo menos, há diversas iniciativas, nesse sentido, pelo mundo afora. Algumas baseadas em pura ideologia e consciência; outras levando em conta “o bolso” – já que boa parte da humanidade, infelizmente, só entende a linguagem do dinheiro. Mas, que seja! O que importa é o resultado que se obtém deese tipo de iniciativa: a redução da agressão ao meio ambiente.

Eis alguns exemplos:
– a Irlanda foi o primeiro país da Europa a aplicar impostos sobre o uso de “sacolas plásticas”. Isso aconteceu em 2002 e reduziu em 90% o consumo do produto;
– em 2005, Ruanda acabou com a “festa” das sacolinhas;
– em Bangladesh, isso aconteceu em 2007;
– em 2007, também, São Francisco foi a primeira cidade a proibir o uso dessas sacolas; agora parece que todo o Estado da Califórnia vai aderir ao movimento;
– no ano passado, a China começou uma campanha para acabar com as descartáveis gratuitas e
– Israel, Canadá, Índia, Botswana, Kenya, Tanzânia, África do Sul, Taiwan e Singapura também proibiram seu uso ou estão a caminho disso.

No Brasil, eu não encontrei nada falando sobre cobrança de impostos para o consumidor que optar pelas sacolinhas plásticas. Talvez fosse uma boa alternativa. Mas já existem algumas iniciativas interessantes: em Santa Catarina, a ACATS – Associação Catarinense de Supermercados liderou uma campanha para incentivar os supermercados a abandoná-las de vez. Em junho do ano passado, foi a vez do governo se manifestar: o Ministério do Meio Ambiente lançou a campanha “Saco é um saco”, focando diretamente no consumo das sacolas plásticas com apoio da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), para incentivar o uso de alternativas às sacolas, nas compras. Alguns supermercados, como o Carrefour, já oferece sacos de lixo fabricado com material reciclado.

O pessoal que defende o uso das sacolas plásticas tem bons argumentos. A produção de plástico corresponde a “apenas” 4% da extração mundial de petróleo. E a sacola feita desse material traz alguns benefícios: elas são práticas, higiênicas, inodoras, neutras e podem ser reutilizadas. No descarte de lixos, as sacolinhas ajudam a reduzir a proliferação de doenças e a atração de insetos e ratos, garantindo a saúde pública. O plástico em contato com a terra ou a água é inerte, não polui nem contamina solos. Por ser 100% reciclável, pode ser transformado em novos produtos ou em energia, desde que descartado corretamente. Mas o problema é que as pessoas que não reutilizam nem descartam as sacolas como se deve. E essas pessoas são a maioria das que fazem uso delas.

Já faz bastante tempo que as recuso. No começo era difícil porque sempre esquecia de levar uma bolsa grande para colocar as compras.  Mas ganhei duas bolsas de pano que cabem dentro da minha bolsa como uma carteira e agora ficou mais prático. Aqui nos EUA é muito comum as pessoas levarem as próprias bolsas para o supermercado. Mas também há postos de recolhimento para quem prefere reciclá-las em quase todos os supermercados.

De qualquer forma, não é assim tão difícil recusar. E de quebra, você pode até estar fazendo um bem para o meio ambiente. Você acha que essa é uma ação não muito prática? Você tem outras soluções para o problema que são mais práticas? Envie suas idéias para mim!

Share

Posted by: Simone Talarico Ross | August 2, 2010

Quero ser verde!

Eu sempre achei que fosse uma pessoa ecologicamente correta.  Eu fecho a torneira enquanto escovo os dentes, eu reutiliz0 e reciclo papel e garrafas plásticas. Eu troquei todas as lâmpadas da casa para LCD há muitos anos.  Mas, por alguma razão, eu vejo as pessoas fazendo muito mais nestes dias, e eu venho me sentindo tão desinformada!

Então eu decidi investigar o quê mais eu podia fazer para ter uma vida mais sustentável afinal, é difícil hoje em dia negar como a vida das pessoas, dos animais e dos ecossistemas do planeta são tão ligados.  A verdade é simples: cada escolha que fazemos, diariamente, em nossa vidas em relação ao que consumimos, como o fazemos, o quê comemos e como cuidamos do nossos restos, tem um impacto – para o bem ou para o mal  – no planeta inteiro.

Porém, o caminho verde não é fácil.  Ser verde tem sido tão “in” estes dias que é quase um trabalho à parte na vida das pessoas e não parece ter ações muito práticas.  Além disso, há todas estas novas supostamente coisas “verdes”que você “precisa ter”, que me faz pensar se toda idéia não vai de encontro à própria proposta de ser verde que, na verdade, propõe diminuição no consumo.

Então, eu decidi encontrar maneiras de ser verde que não vão me custar muito mais tempo ou dinheiro, e estou em busca de soluções ecológicas para a minha vida diária que sejam práticas. E eu vou te levar comigo nesta jornada a cada segunda-feira.

Agora, eu não sou nenhuma cientista, ecologista ou uma especialista em meio ambiente.  Eu sou uma curiosa jornalista, esposa e mãe que está tentando viver uma vida mais verde acreditando que todos temos de assumir a responsabilidade por nosso impacto no planeta, e fazer escolhas que melhore as nossas vidas, preservando os recursos naturais para as gerações futuras. E eu acho que posso fazê-lo. Fique atento e traga suas idéias!

Share

Posted by: Simone Talarico Ross | July 20, 2010

Facebook prestes a atingir 500 milhões de membros

Eu tenho Facebook desde 2007, mas neste último ano eu percebi um aumento de números de amigos meus entrando nessa rede, tanto brasileiros como americanos. A minha percepção não estava errada. O número de usuários do FB (acrônimo para Facebook) no último ano dobrou. Facebook deve anunciar esta semana que atingiu a marca de 500 milhões de usuários. Isso significa metade de um bilhão de pessoas em apenas seis anos!

Parece que foi ontem que o site era exclusivo de alunos que dividiam os dormitórios da Universidade de Harvard. Agora Facebook é o site mais visitado na Internet e possui um império de bilhões de dólares. A empresa tem os números para provar a façanha: 34,8% dos usuários de internet no planeta estão no FB.  Em média, cada um de nós usuários visitamos nossos perfis 34 vezes por mês, e permanecemos por lá por 23 minutos.

Colocando a marca de meio bilhão de membros em perspectiva, o Washington Post relata que “a população que usa o Facebook atualmente é igual à população dos Estados Unidos, do Japão e da Alemanha juntos. Ou dois Méxicos e um Brasil “.

Em uma entrevista para o All Things Digital , Randi Zuckerberg, o diretor de marketing do Facebook, disse que o site planeja comemorar a marca com o “Facebook Stories” (Histórias do Facebook), uma coleção de contos da vida real de usuários do Facebook sobre como a rede social tem afetado suas vidas.

“Ao atingir nossa marca de 500 milhões,  nós quisemos encontrar uma maneira diferente de anunciar e celebrar. No passado, focalizamos nos números e objetivos, e percebemos que nunca tínhamos dado a oportunidade de comemorar aos usuários “, disse Zuckerberg.

Os usuários são incentivados a visitar a página do “Users Stories” para apresentarem as suas lorotas em 420 caracteres ou menos.  As histórias vão então ser organizadas por localização geográfica e por temas como a “descoberta” do amor “, lidar com a dor” e “desastres naturais”. Agora, se você optar por dizer algo sobre você no Facebook, tenha em mente que o site mantém o direito de publicar o material de qualquer forma que quiser – por isso não serão aceitas  queixas de falta de privacidade , ok?

Além disso, os usuários do Facebook podem “gostar” das histórias individuais usando o onipresente botão “like” e as mais populares serão destacadas.

E o mundo continua ficando menor e menor…

Posted by: Simone Talarico Ross | June 4, 2010

Calendário da Copa do Mundo 2010

A Copa do Mundo de futebol começa semana que vem. 

Muitos amigos que sabem que eu venho trabalhando com edições de entrevistas de jogadores do mundo todo, acham que eu sei decoradas todas as datas dos jogos e sempre me perguntam. Por isso, resolvi colocar abaixo a lista completa dos jogos da primeira fase. A Copa do Mundo de 2010 vai ser realizada na África do Sul de 11 de junho a 11 de julho.

Lembrem que a tabela tem o horário local do Brasil. Para quem está nos EUA, diminua 4 horas, se no Pacific Time. Parece complicado mas é simples continha de menos, ok?

1ª rodada

Sex, 11/06/2010

  • 11:00

    África do Sul x México

  • 15:30

    Uruguai x França

Sáb, 12/06/2010
  • 08:30

    Coreia do Sul x Grécia

  • 11:00

    Argentina x Nigéria

  • 15:30

    Inglaterra x Estados Unidos

Dom, 13/06/2010
  • 08:30

    Argélia x Eslovênia

  • 11:00

    Sérvia x Gana

  • 15:30

    Alemanha x Austrália

Seg, 14/06/2010
  • 08:30

    Holanda x Dinamarca

  • 11:00

    Japão x Camarões

  • 15:30

    Itália x Paraguai

Ter, 15/06/2010
  • 08:30

    Nova Zelândia x Eslováquia

  • 11:00

    Costa do Marfim x Portugal

  • 15:30

    Brasil x Coreia do Norte

Qua, 16/06/2010
  • 08:30

    Honduras x Chile

  • 11:00

    Espanha x Suíça

2ª rodada
Qua, 16/06/2010

  • 15:30

    África do Sul x Uruguai

Qui, 17/06/2010
  • 08:30

    Argentina x Coreia do Sul

  • 11:00

    Grécia x Nigéria

  • 15:30

    França x México

Sex, 18/06/2010
  • 08:30

    Alemanha x Sérvia

  • 11:00

    Eslovênia x Estados Unidos

  • 15:30

    Inglaterra x Argélia

Sáb, 19/06/2010
  • 08:30

    Holanda x Japão

  • 11:00

    Gana x Austrália

  • 15:30

    Camarões x Dinamarca

Dom, 20/06/2010
  • 08:30

    Eslováquia x Paraguai

  • 11:00

    Itália x Nova Zelândia

  • 15:30

    Brasil x Costa do Marfim

Seg, 21/06/2010
  • 08:30

    Portugal x Coreia do Norte

  • 11:00

    Chile x Suíça

  • 15:30

    Espanha x Honduras

3ª rodada
Ter, 22/06/2010

  • 11:00

    México x Uruguai

  • 11:00

    França x África do Sul

  • 15:30

    Nigéria x Coreia do Sul

  • 15:30

    Grécia x Argentina

Qua, 23/06/2010
  • 11:00

    Eslovênia x Inglaterra

  • 11:00

    Estados Unidos x Argélia

  • 15:30

    Gana x Alemanha

  • 15:30

    Austrália x Sérvia

Qui, 24/06/2010
  • 11:00

    Eslováquia x Itália

  • 11:00

    Paraguai x Nova Zelândia

  • 15:30

    Dinamarca x Japão

  • 15:30

    Camarões x Holanda

Sex, 25/06/2010
  • 11:00

    Portugal x Brasil

  • 11:00

    Coreia do Norte x Costa do Marfim

  • 15:30

    Chile x Espanha

  • 15:30

    Suíça x Honduras

Uma fonte de confiança para quem quer mais informações sobre a Copa é o site da FIFA (www.fifa.com), que pode ser visto em inglês ou português.

Posted by: Simone Talarico Ross | March 8, 2010

Oscar 2010 – minha análise final

Porque hoje comemora-se o Dia Internacional da Mulher, vou começar minha análise sobre a cerimônia de ontem do Oscar, falando sobre o prêmio de melhor diretor.  Kathryn Bigelow mereceu a estatueta, como mereceria James Cameron e Quentin Tarantino. Esta era uma das categorias mais difíceis, na minha opinião.

Mas vou logo dizendo que Guerra ao Terror (The Hurt Locker) não foi o melhor filme do ano. Quando Tom Hanks anunciou o vencedor nessa categoria – aliás ele parecia correndo contra o tempo – me desapontei e fiquei pensando porque o pessoal da Academia (diga-se o povo que faz filmes) preferiu esse filme a Avatar. Cheguei à conclusão de que a única razão deve ser a demonstrada arrogância de James Cameron, ao receber o Oscar por Titanic, 12 anos atrás . Não há outra explicação.

 Avatar tem uma história original, profundidade de detalhes na caracterização dos personagens, com nenhum detalhe sendo de graça. Cameron dá vida à tela, enfim, ele faz mágica cinemática. O filme contém tanto detalhe visual que vale a pena ser visto mais de uma vez. Não se pode dizer o mesmo da maioria dos filmes que gastam essa quantia de dólares. A trilha sonora é um espetáculo à parte, mas ao mesmo tempo não aparece para ditar emoções. Enfim, o filme é superbo.

Guerra ao Terror tenta realizar o que passa na cabeça de uma pessoa, uma história um tanto restringida, apesar de autêntica, sobre a guerra do Iraque. Acho que o trabalho de câmera e a edição desse filme é o que funciona, por isso concordo com a premiação nas categorias de direção e edição.  A premisa de que ser herói custa caro, é bem articulada no filme. Mas eu encontrei várias cenas que eu posso jurar que ela se “inspirou” em alguns outro filmes de guerra que foram ícones nesse gênero…

Sandra Bullock, atriz queridíssima do público, super-simpática, que fez um filme muito bom – Blind Side (Um sonho possível) -, ganhando da atuação de  Meryl Streep in Julie & Julia? Sei lá, pareceu muito estranho… Gostei muito da atuação das duas, mas não acho possível compararmos… Principalmente quando Bullock também recebeu esse ano o Framboesa de Ouro, por sua atuação em Maluca Paixão (All About Steve). Tudo bem que atores fazem escolhas ruins, podem escorregar aqui e ali, mas mesmo assim. além disso, essa não é a primeira vez que ela ganha o Razzies (como é chamado o Framboesa por aqui).

Já a categoria masculina ão teve nenhuma surpresa, uma vez que as atuações ese ano não foram lá das melhores…

Já a cerimônia… Bem, apesar de gostar muito do ator Steve Martin e aturar Alec Baldwin como comediante, achei a dupla péssima. Eles quase nem apareceram e quando o fizeram foi, na maior parte, para deixar todo mudo desconfortável. Aliás, acho de muito mal gosto essa insistência em rotular Bigelow como “ex-mulher” de Cameron. Eles foram casados de 1989 à 1991, quase duas décadas atrás! E ela mostrou que é muito mais do que isso.

Particularmente, eu gosto de assistir o Oscar não por causa das premiações, porque geralmente já sabemos quem vai levar as estatuetas nas principais categorias. Gosto dos discursos. Mas esse ano, para evitar o lenga lenga demorado dos agradecimentos dos vencedores, os organizadores do evento não deixaram os discursos passarem de 45 segundos. Astros e estrelas tiveram que manter o discurso curto, evitando a longa lista de agradecimentos a agentes, diretores, parentes e até o médico de sua mãe, como foi o caso da atriz Greer Garson que, em 1942, fez o discurso mais longo da história da premiação (mais de uma hora).

Então eles pediram aos vencedores do Oscar para fazerem dois discursos: um no palco, sobre o significado da conquista do prêmio a eles, e outro nos bastidores, quando eles podiam agradecer a quem quiserem para uma câmera. Posteriormente, os vídeos foram disponibilizados na internet e poderão ser enviados a amigos ou postados em sites de relacionamentos.

Desapontada com o resultado final para melhor filme estou. Mas já estava desapontada desde o começo pela ausência de Watchmen na lista, então, de tudo ficou um pouco, não muito – como dizia Drummond.

Posted by: Simone Talarico Ross | March 2, 2010

10 fatos interessantes – ou não – sobre o Oscar nesse ano de 2010

Essa eu vi lá no Omelete e adorei.  A cerimônia do Oscar é neste domingo, e precisamos ficar por dentro das curiosidades deste ano – só por diversão e talvez prá ter assunto nas conversas com amigos. Então, segue uma lista de dez fatos particulares a esse ano, na festa mais badalada de Hollywood.

1. Para começar, uma bem básica: o Oscar deste ano tem dez indicados ao prêmio de Melhor Filme, o dobro dos últimos anos. Mas não é a primeira vez que isso acontece. Entre 1932 e 1943, o número de indicados era flutuante, chegando até a 12 filmes, em 1934 e 1935;

2. Avatar e Guerra ao Terror estão empatados com nove indicações cada. A diferença é que o filme dirigido por James Cameron não concorre em nenhuma categoria de atuação. E ao contrário da sua longa carreira de recordes tem um que ele não vai conseguir bater: O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei teve 11 indicações também sem menção alguma entre as listas de atores. E ganhou todas!

3. Avatar também não tem indicação para Melhor Roteiro. Mas sabe qual foi a última vez que um filme ganhou o troféu de Melhor Filme sem indicação nesta categoria? Titanic!

4. Não dá para falar de Oscar sem citar Meryl Streep. Com a sua indicação por Julie & Julia ela já soma 16 participações na maior festa do cinema. Mas isso não faz dela uma favorita. A última vez que ela ganhou, em 1983, duas das suas concorrentes deste ano – Carey Mulligan (Educação) e Gabourey Sidibe (Preciosa – Uma História de Esperança) – haviam sequer nascido.

5. E por falar em atores, três das seis indicações de Amor Sem Escalas são nas categorias de atuação – recorde para este ano. George Clooney está entre os Melhores Atores e Vera Farmiga concorre contra sua colega Anna Kendrick entre as Atrizes Coadjuvantes (aliás Kendrick é minha favorita!).

6. Falando agora em minorias, entre os diretores, Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror) é a quarta mulher indicada ao prêmio, sendo que Lina Wertmüller (Pasqualino Sete Belezas), Jane Campion (O Piano) e Sofia Coppola (Encontros e Desencontros) não ganharam ou tiveram tanto favoritismo quanto agora. Vale dizer também que Lee Daniels (Preciosa – Uma História de Esperança) é o segundo negro a entrar para a seleta lista. O primeiro foi John Singleton (Os Donos da Rua), em 1992, que é também o mais jovem diretor a ser indicado.

7. Ainda sobre Preciosa – Uma História de Esperança, vale lembrar que esta é a primeira vez que um longa-metragem dirigido por um negro é indicado ao Oscar de Melhor Filme.

8. Up – Altas Aventuras é a primeira animação indicada ao prêmio principal desde A Bela e a Fera (1991).

9. Com as quatro indicações de Star Trek, o filme dirigido por J.J. Abrams empatou com Jornada nas Estrelas IV: A Volta para Casa, de Leonard Nimoy.

10. Se Avatar ganhar o prêmio de Melhor Filme, vai ser o premiado com a maior bilheteria de todos os tempos – claro! Mas se Guerra ao Terror confirmar seu favoritismo e levar o careca dourado para casa, vai ser o ganhador do Oscar com a menor arrecadação: 18,5 milhões de dólares nos cinemas ao redor do mundo.

Posted by: Simone Talarico Ross | March 1, 2010

Oscar 2010 – Os indicados

OSCAR 2010

Essa semana vai ser especial prá quem gosta de cinema, aqui no Canário. Como no próximo domingo acontece a entrega do Oscar  – premiação aos melhores filmes do ano segundo a Academia – vou publicar todo dia informações e minhas críticas sobre alguns dos filmes que concorrem a estatueta de melhor do ano. Prá começar, vamos aos indicados:

Melhor filme
“Avatar”
“Um sonho possível”
“Distrito 9”
“Educação”
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“Preciosa”
“Um homem sério”
“Up – Altas aventuras”
“Amor sem escalas”

Melhor direção
James Cameron, “Avatar”
Kathryn Bigelow, “Guerra ao terror”
Quentin Tarantino, “Bastardos inglórios”
Lee Daniels, “Preciosa”
Jason Reitman, “Amor sem escalas”

Melhor ator
Jeff Bridges, “Coração louco”
George Clooney, “Amor sem escalas”
Colin Firth, “A single man”
Morgan Freeman, “Invictus”
Jeremy Renner, “Guerra ao terror”

Melhor ator coadjuvante
Matt Damon, “Invictus”
Woody Harrelson, “The messenger”
Christopher Plummer, “The last station”
Stanley Tucci, “Um olhar do paraíso”
Christoph Waltz, “Bastardos inglórios”

Melhor atriz
Sandra Bullock, “Um sonho possível”
Helen Mirren, “The last station”
Carey Mulligan, “Educação”
Gabourey Sidibe, “Preciosa”
Meryl Streep, “Julie & Julia”

Melhor atriz coadjuvante
Penélope Cruz, “Nine”
Vera Farmiga, “Amor sem escalas”
Maggie Gyllenhaal, “Coração louco”
Anna Kendrick, “Amor sem escalas”
Mo’Nique, “Preciosa”

Melhor animação
“Coraline”
“O fantástico Sr. Raposo”
“A princesa e o sapo”
“O segredo de Kells”
“Up – Altas aventuras”

Melhor filme estrangeiro
“Ajami”
“El secreto de sus ojos”
“The milk of sorrow”
“Un prophète”
“A fita branca”

Melhor direção de arte
“Avatar”
“O mundo imaginário do Dr. Parnassus”
“Nine”
“Sherlock Holmes”
“The young Victoria”

Melhor cinematografia
“Avatar”
“Harry Potter e o enigma do príncipe”
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“A fita branca”

Melhor figurino
“Bright star”
“Coco antes de Chanel”
“O mundo imaginário do Dr. Parnassus”
“Nine”
“The young Victoria”

Melhor edição
“Avatar”
“Distrito 9”
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“Preciosa”

Melhor maquiagem
“Il Divo”
“Star trek”
“The young Victoria”

Melhor trilha sonora
“Avatar”
“O fantástico Sr. Raposo”
“Guerra ao terror”
“Sherlock Holmes”
“Up – Altas aventuras”

Melhor canção
“Almost there”, “A princesa e o sapo”
“Down in New Orleans”, “A princesa e o sapo”
“Loin de Paname”, “Paris 36”
“Take it all”, “Nine”
“The weary kind”, “Crazy heart”

Melhor roteiro original
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“The messenger”
“Um homem sério”
“Up – Altas aventuras”

Melhor roteiro adaptado
“Distrito 9”
“Educação”
“In the loop”
“Preciosa”
“Amor sem escalas”

Melhores efeitos visuais
“Avatar”
“Distrito 9”
“Star trek”

Melhor som
“Avatar”
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“Star trek”
“Transformers: A vingança dos derrotados”

Melhor edição de som
“Avatar”
“Guerra ao terror”
“Bastardos inglórios”
“Star trek”
“Up – Altas aventuras”

Melhor documentário
“Burma VJ”
“The cove”
“Food, Inc.”
“The most dangerous man in America: Daniel Ellsberg and the Pentagon papers”
“Which way home”

Melhor documentário em curta-metragem
“China’s unnatural disaster: The tears of Sichuan province”
“The last campaign of governor Booth Gardner”
“The last truck: Closing of a GM Plant”
“Music by Prudence”
“Rabbit à la Berlin”

Melhor curta-metragem
“The door”
“Instead of Abracadabra”
“Kavi”
“Miracle fish”
“The new tenants”

Melhor curta-metragem de animação
“French roast”
“Granny O’Grimm’s Sleeping Beauty”
“The lady and reaper”
“Logorama”
“A matter of loaf and death”

Posted by: Simone Talarico Ross | January 27, 2010

“I gotta feeling” em ritmo de samba?

Older Posts »

Categories